Páginas

sexta-feira, 13 de maio de 2016

13 DE MAIO DE 1888 / LIBERTAÇÃO DOS ESCRAVOS / MARÇO DE 1982, A ESCRAVIDÃO 96 ANOS DEPOIS E ATÉ HOJE!!!


RJ, Foto de março de 1982. Polícia conduz moradores de favela, amarrados pelo pescoço Rio de Janeiro

29 de setembro de 1982
Foto premiada mostra policiais cariocas conduzindo presos pelo pescoço, com cordas, (todos portadores de Carteira de Trabalho)!!!

O Jornal do Brasil publicou em 30 de setembro de 1982 uma foto feita por Luiz Morier. Ele estava na estrada Grajaú-Jacarepaguá quando viu uma blitz da PM em uma favela. Seis moradores estavam amarrados pelo pescoço, sendo conduzidos pelos policiais. A foto ficou conhecida como "Todos Negros", e ganhou o Prêmio Esso de Fotografia de 1983.

Maurício Porto,

Rio,13 de maio de 2016.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

VIVA 20 DE NOVEMBRO, DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA!!! VIVA MV BILL E GIL CANTANDO "HAITI" DE GIL E CAETANO!!!

MV BILL E GILBERTO GIL

Para todos os Negros do Brasil e do Mundo!!!

Para minha irmã Negra, Lourdinha!

Em Memória de Benta, 
minha babá negra que foi mais minha mãe do que minha própria mãe, branca! 

Maurício Porto,
Rio, 20 de novembro de 2015. 
Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra.

Fonte: YouTube


sábado, 31 de outubro de 2015

31 DE OUTUBRO: DRUMMOND X HALLOWEEN. EM MEMÓRIA DE DRUMMOND E DE UM PAÍS CHAMADO BRASIL

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE / MAURÍCIO PORTO / 2011



Hoje, 31 de outubro, é o Dia de Drummond.
Há 113 anos, nascia o nosso Poeta Maior.
Mas, "no meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho",
a pedra halloween, o dia das bruxas.
Pobre do país que se deixa ser dominado.


Em Memória de Carlos Drummond de Andrade.
Em Memória de um país chamado Brasil.

Maurício Porto,

Rio, 31 de outubro de 2015.

VIDA DE MULHER / SAMBA DO GENIAL MOYSEIS MARQUES

MOYSEIS MARQUES


Fonte: YouTube

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

XI JINPING

XI JINPING / MAURÍCIO PORTO / NOVEMBRO 2013
Pintura Digital.
Programa: Photoshop.
Maurício Porto,
Rio, 25 de setembro de 2015.

PS: cliquem na imagem para vê-la ampliada

Fonte: ARTE DIGITAL / MAURÍCIO PORTO


VLADIMIR PUTIN

VLADIMIR PUTIN / MAURÍCIO PORTO / NOVEMBRO 2013
Pintura Digital.
Programa: Photoshop.
Maurício Porto,
Rio, 28 de setembro de 2015.

PS: cliquem na imagem para vê-la ampliada

Fonte: ARTE DIGITAL / MAURÍCIO PORTO


terça-feira, 20 de outubro de 2015

NA GAFIEIRA

NA GAFIEIRA / MAURÍCIO PORTO / OUTUBRO 2015

Maurício Porto,

Rio, 20 de outubro de  2015



PS: cliquem na imagem para vê-la ampliada


sexta-feira, 25 de setembro de 2015

MEU NOVO BLOG: ARTE DIGITAL / MAURÍCIO PORTO

RITUAL XAMÂNICO / MAURÍCIO PORTO / SETEMBRO 2015

Caros amigos e leitores,

Abri um novo blog: ARTE DIGITAL / MAURÍCIO PORTO.
O endereço é: http://artedigitalmauricioporto.blogspot.com.br/ . Se quiserem entrar cliquem aqui.

Nele, estou mostrando uma das minhas paixões, a arte digital. São pinturas, desenhos e ilustrações todas feitas no computador há mais de 16 anos no programa Photoshop, com o qual trabalho há 19 anos.

Comemoro em dezembro próximo, 50 anos como ilustrador profissional e 30 anos como professor de mais de 12.500 alunos, nas áreas da arte e da representação gráfica da arquitetura, profissões que exerci paralelamente. Ainda arranjei tempo para trabalhar como arquiteto (auti-didata) por mais de 10 anos.

Desde a minha adolescência, eu tinha três grandes paixões: o piano do jazz, a pintura, e uma colega de turma. O pianista de jazz, aqui jaz. Por pressões familiares, não deu. O pintor, por ser alérgico à tinta óleo, também "dançou". Finalmente, para completrar a "tragédia", a minha colega "me chutou".

Entre "o ser ou não ser, eis a questão", resolvi ser o que eu já podia ser: ilustrador de arquitetura, ou seja, perspectivista. Em dezembro de 65, indicado por meu irmão Carlos, consegui meu primeiro emprego num escritório de arquitetura. Esta é uma longa história... vamos ao que interessa.

Em agosto passado eu comprei todo o material necessário para começar a pintar com tinta acrílica. De repente, sem pensar, mergulhei no Photoshop e recomecei a fazer pinturas digitais, desta vez, todos os dias. Fiquei surpreso e empolgado com os novos resultados. Creio que a pintura em acrílico me assustou. 

Uma coisa têve de bom, estou fascinado com o meu trabalho. Enfim posso dizer: Sou um pintor digital. 

Até a próxima,

Maurício  Porto,
Rio, 25 de setembro de 2015.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

COTOVELOS



Colocar cotovelos na mesa durante as refeições 
era falta de educação, diziam meus pais.
Falar pouco no almoço e jantar era ser polído.  
Creio, ser um homem educado.
Só tem um problema: 
- Desde que saí da casa dos meus pais,
aos meus vinte quatro anos, 
eu falo pelos cotovelos.


Maurício Porto,
Rio, 23 de julho de 2015.

Do meu livro: "Ladeiras do Silêncio".

sexta-feira, 2 de maio de 2014

PURO CINEMA

ILUSTRAÇÃO DIGITAL BASEADA EM FOTO DO GOOGLE IMAGENS

PURO CINEMA

Maurício Porto,
Rio, Primeiro de Maio de 2014, Dia do Trabalhador!!!

Num restaurante entrei.
Um japonês preparava 
em stop-motion um sushi.
Um português e seu bigode,
degustavam um "Porto".
Imaginei, que uma boa piada dali sairia.

Esqueci a piada, pouco me importei.
Subitamente, fiquei fascinado com o que via.
Aquele restaurante caidão, 
quase vazio, começo de noite, 
um clima triste, quase sombrio,
um cenário perfeito de um noir decadente,
os dois personagens e outros poucos.
De repente me vi num cinema. 
Parei de comer, fiquei assistindo.

Não tirei os olhos da porta de entrada.
Quem será que entraria afinal? 
Humphrey Bogart com Lauren Bacall?
Na minha poltrona, o mundo ficou preto e branco.
Só faltava, ao fundo, um velho bolero.
Pra ficar, aí sim, "ao ponto",
comecei a cantá-lo baixinho: "La barca".

Tudo pronto. Perfeito. Puro cinema!
Mágicamente, a cena saiu do filme e veio parar aqui. 

Para meu filho Nelson Porto, um Craque de Stop-Motions.

Do meu Livro: "Ladeiras do Silêncio".



segunda-feira, 21 de abril de 2014

MILTON NASCIMENTO: INTERPRETAÇÃO MONUMENTAL DE "CAIS", DE SUA AUTORIA E DE RONALDO BASTOS, NO FESTIVAL INTERNACIONAL DE JAZZ DE MONTREAL (1990)

MILTON NASCIMENTO



Milton Nascimento - Voz e Teclado

Túlio Mourão - Teclados
João Baptista - Baixo
Robertinho Silva - Bateria
Ronaldo Silva - Percussão
Vanderlei Silva - Percussão

Fonte: YouTube

sábado, 12 de abril de 2014

ENTREVISTA COM PAULO CÉSAR PINHEIRO / COMPOSITOR, LETRISTA, POETA E ESCRITOR

PAULO CÉSAR PINHEIRO





Caros leitores,

Paulo César Pinheiro, a meu ver, é um dos maiores compositores e letristas brasileiros dos últimos 45 anos. Além disso, excelente poeta e escritor.

Considero esta sua entrevista extremamente importante para todos aqueles que amam a nossa música, a literatura e a cultura brasileira que vêm sendo 
bombardeadas e massacradas pela mídia, principalmente pela televisão, o rádio, o cinema e a imprensa-empresa que, há décadas, nos impingem uma cultura alienígena, leia-se norte-americana, com valores, costumes e ideologias estranhas à nossa essência como país e povo.

Esta entrevista foi gravada e levada ao ar pelo programa "Imagem da Palavra", da Rede Minas-TV, em dezembro de 2011.

Maurício Porto,
Rio, 12 de abril de 2014. 




segunda-feira, 7 de abril de 2014

QUASE HAI-KAI PARA PLATÃO

PLATÃO

Sábio e vidente foi Platão.
O seu "Mito da Caverna" virou real.
O mundo é o que se vê na televisão. 


Maurício Porto,
Rio, 7 de abril de 2014.


Do meu livro: "Ladeiras do Silêncio".

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

50 ANOS DE UM "DESTINO MANIFESTO", O ASSASSINATO DE JOHN FITZGERALD KENNEDY. O GOLPE DE ESTADO COMANDADO POR LYNDON B. JOHNSON.

O FOTOGRAMA 313. O FIM DA FARSA DO ASSASSINATO DE JFK




Por Maurício Porto,
Rio, 22 de novembro de 2013
(texto revisto e corrigido em 23/11/2013)

Quis o Destino se Manifestar
no país do "Povo Excepcional"
naquele 22 de novembro de 63?
O destino era temerário
e roupa suja se lava em casa.

Dez meses depois
a "honesta" Comissão Warren
lavou a roupa direitinho.
Ela ficou branquinha, branquinha,
como a Casa Branca
ou para a Casa Branca
de Lyndon B. Johnson.

Segundo a limpinha
Comissão Warren,
Lee Oswald com três tiros,
de sua velha e mágica carabina, assassinou JFK. 
O primeiro disparo não atingiu o veículo.
O segundo atravessou o pescoço de Kennedy,
atingindo o Governador do Texas John Connally
que estava sentado na sua frente 
o qual ficou gravemente ferido, mas sobreviveu.
O terceiro acertou Kennedy na cabeça.
E pronto, não se fala mais nisso.

Mas, quis o Destino também
que, Abraham Zapruder,
um comerciante de roupas,
naquele 22 de novembro de 63,
com a sua câmera de vídeo,
fizesse o registro mais completo
do assassinato de JFK.

A máquina de lavar roupa da marca Warren,
o Serviço Secreto de Dallas,
os Serviços Secretos de Washington
e até a revista Life,
tinham o filme de Zapruder.
E daí? Roupa suja se lava em casa!

E mais uma vez, "O Povo Eleito"
que cumpre o "Destino Manifesto"
de "democratizar" e "civilizar" o mundo,
mostrou a sua imunda e ridícula face,
ao vender para o mundo inteiro
a farsa que Lee Oswald foi o único responsável.

Dos "mágicos" disparos
de Lee Oswald, 
somente dois dos três, 
teriam atingido Kennedy.
A magia está na terceira bala.
Vinda pelas costas de Kennedy,
fez uma mirabolante acrobacia
e explodiu seu cérebro pela frente. 

Lee Harvey Oswald,
foi assassinado dois dias depois.

Em 6 de junho de 68, 
Robert Kennedy, 
provável candidato à presidência
irmão de JFK,
foi também assassinado.

Palmas para a "Maior Democracia do Mundo"!!!  

PS: O vídeo acima é o de Zapruder. O fotograma 227, mostra claramente o primeiro tiro que atingiu JFK e o Governador Connally. O fotograma 313, o mais importante, destrói a Farsa da Comissão Warren. Nele aparece o cérebro de JFK, literalmente explodindo depois de um tiro frontal.

Maurício Porto,
Rio, 22 de novembro de 2013.
50 anos de um "Destino Manifesto", o Assassinato de JFK.
O Golpe de Estado comandado por Lyndon B. Johnson.



domingo, 13 de outubro de 2013

100 ANOS DO NOSSO QUERIDÍSSIMO E GENIAL VINÍCIUS DE MORAES.

VINÍCIUS, O NOSSO QUERIDO POETINHA

 Se todos fossem iguais a você / Tom e Vinícius / nas vozes desses dois Gênios.



Valsa de Eurídice / música e letra de Vinícius de Moraes /
Na voz de Elis Regina.



Medo de Amar / música e letra de Vinícius de Moraes / 
na voz de Chico Buarque.

Maurício Porto.
Rio 13 de outubro de 2013. Centenário de Vinícius de Moraes.

Em Memória de Vinícius de Moraes,
de Tom Jobim
e Elis Regina.

Fonte: Youtube


quarta-feira, 2 de outubro de 2013

SABEDORIA ÁRABE VERSUS PARANÓIA NORTE-AMERICANA

IMAGEM DO GOOGLE IMAGENS
Caros leitores,

Recebi hoje, por e-mail, esta piada. Resolvi publicá-la por achá-la genial e hilária. Divirtam-se!!!


Un viejo árabe vivía en Idaho, Estados Unidos, desde hacía 40 años. . .

Quería plantar patatas en su jardín, pero arar la tierra ya era un trabajo muy pesado para él.

Su único hijo, Ahmed, estaba estudiando un postgrado universitario en Francia.

Entonces el anciano decide mandarle un correo electrónico explicándole el problema:

- Querido Ahmed:

Me siento mal porque no voy a poder plantar mis patatas este año.

Estoy muy viejo para arar las parcelas.

Si tú estuvieras aquí sé que voltearías la tierra por mí.

Que Alá esté contigo.

Te quiere, tu Papá.

Al día siguiente recibe un correo electrónico de su hijo:

- Querido Papá:

Por todo lo que más quieras, no revuelvas la tierra del jardín. Ahí es donde tengo escondido "aquello".

Te quiere, Ahmed.

A eso de las cuatro de la madrugada, aparecen la Policía local, agentes del FBI, de la CIA y representantes del Pentágono (que tenían intervenidas las vías de comunicación) y que dan vuelta a ¡¡¡toda la tierra del jardín!!! buscando materiales para construir bombas, Ántrax o lo que sea . . . .

Pero, no encuentran nada y se van.

Ese mismo día el hombre recibe otro correo electrónico de su hijo:

- Querido Papá:
Seguramente la tierra del jardín ya está lista y podrás plantar tus patatas.

¡¡¡Es lo mejor que pude hacer desde acá!!!

Te quiere, tu hijo Ahmed.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

- "CARTAS DE METRÔ" DE MOYSEIS MARQUES, UM SAMBISTA DE PRIMEIRA

MOYSEIS MARQUES


CARTAS DE METRÔ
MOYSEIS MARQUES

Do Metrô de Vicente de Carvalho
Passarela do mesmo baralho
Vi ases envelhecidos
De reis já empobrecidos
Senhora Aparecida
O que será daquele trem?
Que segue o trecho sentido Pavuna
Benefício administrativo
Descanso pro coletivo
Passagem por Inhaúma
Caminho do Juramento
O momento é Irajá

E lá que o baralho se cortou
Com água mais ardente sem Metrô
Surgiram novos cantores
Poetas, compositores
Alunos, professores
De bar, de criação, que esplendor!

As cartas de menor valor
tornaram-se valetes
com damas de respeito
companheiras e tiétes
Motivo pra que toda
A redondeza se alertasse
E jogasse seus coringas
Sobre a mesa 

E eu, mais um, no meio desse carnaval
tentando ser original
revelo minha poesia pra você
me transmitir seu parecer
De cada naipe extraio uma emoção
Brincando com a inspiração
E levo a minha vida de compositor
jogando cartas no Metrô...
... No Metrô de Vicente de Carvalho.

Caros leitores,

Sobre Moyseis Marques, leiam o que Ruy Castro, jornalista e escritor, um dos maiores especialistas em música popular brasileira, escreveu sobre ele em 2009.

Moyseis por Ruy Castro**

Moyseis Marques tem apenas trinta anos, mas sambistas como ele não devem ser medidos por suas idades cronológicas. Como continuadores de uma tradição, têm a idade dessa tradição. Parecem trazer dentro deles a herança, o eco, a lembrança de rodas de samba ancestrais, em remotas biroscas do Estácio ou da Cidade Nova, do tempo em que as coisas estavam realmente começando e seus praticantes se chamavam Newton, Ismael, Brancura, Bide ou Marçal. A filiação musical de Moyseis e sua identificação melódica e rítmica com o Estácio parecem tão nítidas – mesmo que por [ilustre] via de Elton Medeiros, Chico Buarque ou Luiz Carlos da Vila – que, estivessem vivos hoje, Chico Alves e Mario Reis já o teriam gravado.


Ao mesmo tempo, numa época em que, em mãos alheias, a música parece encolher para dar lugar a línguas foragidas de Babel, como o funk, o rap e a eletro-pancadaria, Moyseis canta valores como cozinhas ladrilhadas, pinga para o santo e feijão para os amigos – como em “Panos e planos” [dele, em parceria com Luiz Carlos Máximo]. Anacrônico? Não. No plano do samba, o tempo não passa e certos valores são constantes. E quando alguns, de repente, dão as costas ao Rio pelos mercados de fora, Moyseis toma o metrô para Vicente de Carvalho e vê pela janela o desfile de ases e coringas do Carnaval: “Surgiram novos cantores/ Poetas, compositores/ Alunos, professores/ De bar, de criação/ Que esplendor!” – como em “Cartas de metrô”, sua réplica ao fabuloso “Subúrbio”, de Chico Buarque, que ele também canta aqui e, no mano a mano, vê-se que a sua não fica a dever à viagem de trem do mestre. Não há bairro do Rio que não tenha suas próprias reservas de samba, e sábio será quem levar sua música para se abastecer delas. 


**Ruy Castro é autor de Carmen – Uma biografia (a vida de Carmen Miranda), Chega de saudade (sobre a Bossa Nova) e muitos outros livros, quase todos pela Companhia das Letras.

Fonte: do Vídeo YOUTUBE
Fonte: do texto de Ruy Castro: MIDIA21. NET WEB RADIO


Maurício Porto,
Rio, 1 de Julho de 2013